Header Ads



Cesta básica de maio em Campo Mourão custa R$ 656,73

 

Estudo mostra queda de 3,60% em relação ao preço de abril; veja quais itens baixaram de preço e os que subiram

O valor da cesta básica nacional de alimentos para o sustento de uma pessoa adulta na cidade de Campo Mourão em maio é de R$ 656,73, queda de 3,60% em relação a abril, quando custava R$ 681,27.


Mesmo assim, quem recebe o piso estabelecido por lei precisa trabalhar 119 horas e 12 minutos para adquirir a cesta de alimentos para seu sustento. Em maio, o valor da cesta básica representa 58,58% do salário mínimo líquido.


Os dados foram divulgados pelo Centro Universitário Integrado - por meio do Departamento de Pesquisa do Grupo de Pesquisadores do Núcleo de Empreendedorismo, Pesquisa e Extensão (NEPE) - em parceria com o Conselho de Desenvolvimento Econômico de Campo Mourão (Codecam). Este é o segundo mês que o índice é calculado no município.


O indicador, denominado como ICB – Grupo Integrado de Campo Mourão, segue de forma adaptada a metodologia que o DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) adota para a pesquisa nacional da cesta básica de alimentos.


“Ao aplicar tal metodologia, torna-se possível comparar os resultados do município com os dados nacionais, servindo também como importante indicador econômico para trabalhadores, empresas, entidades, academia e poder público dos municípios”, explica Fabrício Pelloso Piurcosky, coordenador do NEPE.


Variação de preços

Considerando a pesquisa realizada no mês de abril de 2022, a cidade de Campo Mourão teve uma diminuição de 3,60% no valor da cesta básica.


Dentre os fatores que contribuíram para essa redução destacam-se a queda de 14% no valor do arroz, a diminuição de 23% no valor do legume (tomate), cuja safra de inverno começou em abril e trouxe alívio aos bolsos dos mourãoenses, e baixa de 7% no leite integral.


Também caíram de preço a carne bovina (2,73%), a banana (5,36%), o açúcar refinado (2,89%) e o óleo de soja (0,10%).


Na pesquisa de maio verificou-se aumento de preços em relação ao mês de abril em seis produtos. “A batata subiu 9% em virtude das chuvas e alta demanda na Semana Santa. A farinha de trigo ficou 5% mais cara – lembrando que o Brasil não produz todo o trigo que consome, e por isso precisa recorrer ao mercado internacional. Por consequência, o pão francês subiu 7%”, explica a secretária executiva do Codecam, Jackelline Favro.


“O café teve valorização de 3% - ocasionado pela valorização do dólar diante do real e a alta dos preços internacionais – o feijão carioquinha subiu 2,14% e a manteiga, 8%”, completa Jackelline.

 

Mesma comparação

Os produtos pesquisados no índice são os mesmos que compõem a cesta nacional do DIEESE nas quantidades indicadas para os estados do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e englobam a carne bovina, leite integral, feijão carioquinha, arroz, farinha de trigo, batata, legumes (tomate), pão francês, café em pó, frutas (banana), açúcar refinado, óleo de soja e manteiga.


De acordo com o DIEESE, as quantidades de cada produto nessa cesta referem-se ao necessário para o sustento e bem-estar de um trabalhador em idade adulta, contendo quantidades balanceadas de proteínas, calorias, ferro, cálcio e fósforo.


Capitais

Os dados do DIEESE referentes ao mês de abril de 2022 também demonstraram que a capital com maior valor da cesta básica no Brasil é São Paulo (R$ 803,99) e a capital com o valor mais baixo é Aracaju (R$ 551, 47).


Em Curitiba o valor da cesta básica é de R$ 739,28. Ainda, pelo segundo mês consecutivo houve aumento no valor da cesta básica em todas as capitais.


Segundo a pesquisa, o preço da cesta básica nacional em Campo Mourão de R$ 656,73 ainda é mais alta do que em sete capitais do país: (Fortaleza R$ 647,63; Belém R$ 610,31; Natal R$ 595,37; Recife R$ 582,74; Salvador R$ 575,84; João Pessoa R$ 573,70 e Aracaju R$ 551,47).

Postar um comentário

0 Comentários